Funcionário do Castor de Andrade, Neto no Bangu: A Passagem Marcante e a Fama de 'Cachaceiro' no Rio de Janeiro

O apresentador e ídolo do Corinthians, Neto, relembra sua passagem pelo Bangu em 1986, destacando a relação com o bicheiro Castor de Andrade, as curiosidades sobre o pagamento do empréstimo, e como a fama de 'cachaceiro' marcou sua estadia no Rio de Janeiro.

Nov 29, 2023 - 22:33
 235
Funcionário do Castor de Andrade, Neto no Bangu: A Passagem Marcante e a Fama de 'Cachaceiro' no Rio de Janeiro

O apresentador e ídolo do Corinthians, Neto, compartilhou detalhes marcantes de sua passagem pelo Bangu em 1986, emprestado enquanto iniciava sua carreira no futebol. A experiência, que durou três meses, trouxe curiosidades sobre a relação com o bicheiro Castor de Andrade, o pagamento do empréstimo e uma fama peculiar que o acompanhou no Rio de Janeiro.

Segundo Neto, o empréstimo para o Bangu ocorreu no início de sua carreira, e ele recebeu cerca de 150 mil, em dinheiro vivo, uma quantia considerável na época. Ao detalhar a chegada ao Rio de Janeiro, o apresentador revelou o receio de lidar com Castor de Andrade, o bicheiro que bancava o clube de Moça Bonita.

"Na época, eu recebi algo como 150 mil, não eram reais. Recebi em dinheiro vivo. Era muito dinheiro, o cara me deu uma mala de dinheiro. Eu falei: ‘Doutor Castor, como eu vou levar esse dinheiro para o hotel e depois para Campinas? Eu vou ser assaltado’. Ele falou: ‘Neto, ninguém vai mexer com você. Quem manda no Rio de Janeiro sou eu’”, conta Neto.

Com o dinheiro, Neto adquiriu um Ford Escort para facilitar suas viagens entre Rio de Janeiro e São Paulo. Durante sua passagem pelo Bangu, o craque fez 16 jogos, marcando um gol. Ele compartilhou vestiário com nomes como Paulo César Carpegiani, técnico da equipe carioca na época, e Mauro Galvão, zagueiro com passagens por clubes renomados.

Entretanto, a passagem de Neto pelo Bangu ficou marcada pela fama de 'cachaceiro', como ele mesmo relata. O apresentador convidou sua família para acompanhá-lo no hotel, e a atitude de seus familiares contribuiu para a reputação peculiar que ganhou na imprensa carioca.

"E eu tenho a fama de não ter dado certo no Bangu porque eu fazia muita zona, porque eu saía muito. Por sinal, tinha uma discoteca no hotel, e eu ia lá sempre mesmo. (...) Eu tenho fama de cachaceiro no Rio de Janeiro. Para a imprensa carioca de 1986 a 1990 eu fiquei com a fama de bêbado", revela Neto.

A passagem pelo Bangu, além de proporcionar momentos inusitados, faz parte das histórias peculiares que marcam a carreira e a trajetória de Neto no mundo do futebol.

Jonas Henrique Nasceu em São Paulo (SP) e cursou jornalismo na Faculdade Cásper Líbero.